Deprecated: Assigning the return value of new by reference is deprecated in /home/httpd/htdocs/amantebr/blog/wp-settings.php on line 512 Deprecated: Assigning the return value of new by reference is deprecated in /home/httpd/htdocs/amantebr/blog/wp-settings.php on line 527 Deprecated: Assigning the return value of new by reference is deprecated in /home/httpd/htdocs/amantebr/blog/wp-settings.php on line 534 Deprecated: Assigning the return value of new by reference is deprecated in /home/httpd/htdocs/amantebr/blog/wp-settings.php on line 570 Deprecated: Assigning the return value of new by reference is deprecated in /home/httpd/htdocs/amantebr/blog/wp-includes/cache.php on line 103 Deprecated: Assigning the return value of new by reference is deprecated in /home/httpd/htdocs/amantebr/blog/wp-includes/query.php on line 61 Deprecated: Assigning the return value of new by reference is deprecated in /home/httpd/htdocs/amantebr/blog/wp-includes/theme.php on line 1109 Clube Amantes da Ferrovia - Diário de Bordo
Clube Amantes da Ferrovia

Clube Amantes da Ferrevia

Diário de Bordo

Maquete de ferreomodelismo: Trem Rio Doce Rápido Vitória a Minas com dois carros dormitórios da RFFSA - SR2

18.01.2010 às 07h43 - por heliojr

Maquete de ferreomodelismo _ Trem Rio Doce Rápido Vitória a Minas - EFVM-CVRD com dois carros dormitorios da RFFSA - SR2

Arquivado em Relato de Viagens

Antiga Estação Ferroviária da E.F.Central do Brasil em Belo Horizonte - MG hoje museu de artes e ofícios

às 07h42 - por heliojr

antiga-estacao-ferroviaria-da-efcentral-do-brasil-em-belo-horizonte-mg-hoje-museu-de-artes-e-oficios

Vídeo: Trem Noturno Rio Doce da EFVM - Manobras em Nova Era - MG - parte 1

15.01.2010 às 07h29 - por heliojr

Trem Noturno Rio Doce - Manobras em Nova Era - MG parte 1

Vídeo: Lembranças do Trem Noturno Rio Doce da E.F.Vitória a Minas

às 07h28 - por heliojr

Lembranças do Trem Noturno Rio Doce da E.F.Vitória a Minas

Vídeo: Estrada de Ferro Vitória a Minas - 105 anos de história

às 07h26 - por heliojr

Estrada de Ferro Vitória a Minas - 105 anos de história

Nós fazemos sorrindo o que muitos não fazem chorando

14.01.2010 às 07h31 - por Silvia Cristina

Nós fazemos sorrindo o que muitos não fazem chorando

Arquivado em Relato de Viagens

Carro Restaurante Rio Doce R-132 _ EFVM-CVRD

às 07h24 - por heliojr

carro-restaurante-rio-doce-r-132-_-efvm-cvrd1

Arquivado em Relato de Viagens

Lembranças do Trem Noturno Rio Doce

13.01.2010 às 08h24 - por heliojr

Lembranças do Trem Noturno Rio Doce (soneto)

Foi um trem que passou em minha vida,
Como um rio suave que passa.
Marcou sua doce presença,
Embalando-me em meus sonhos de criança!

Foi um trem que passou, como as águas na ribeira de um rio.
Foi um trem que deixou saudades, para sempre impressa
Em meu coração, numa terna lembrança!

Como o rio que calmamente vai passando,
Assim foi este trem passando pela minha vida,
Sem que disso eu me apercebesse,
Ele passava com sua doce poesia e sua história ia registrando

Assim passou o último trem noturno Rio Doce
E o que hoje dele restou, é uma eterna lembrança
De meus tenros dias de criança, dos sonhos dourados que ele me trouxe!

Hélio dos Santos Pessoa Júnior

11/08/2008

Trem Noturno Rio Doce Rápido Vitória a Minas - EFVM-CVRD

04.01.2010 às 07h48 - por heliojr

trem-noturno-rio-doce-manobras-em-nova-era-mg-_-parte-1O Trem Noturno Rápido Vitória a Minas, da Companhia Vale do Rio Doce - Estrada de Ferro Vitória a Minas, teve início no ano de 1954, quando a Companhia Vale do Rio Doce, dona da Estrada de Ferro Vitória a Minas desde 1942, comprou da Companhia Industrial Santa Matilde uma frota de carros de aço carbono para passageiros, para formar o famoso Rápido Vitória a Minas. A Cia. Industrial Santa Matilde cuja matriz era na cidade de Três Rios - RJ, com uma filial em Conselheiro Lafaiete - MG, a partir da década de 1950, fabricara material férreo para diversas Ferrovias no Brasil, incluindo a Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima - RFFSA. O nome ‘Rápido Vitória a Minas, surgiu principalmente para contrastar com o antigo trem que era formado por carros de madeira e locomotiva a vapor (Maria Fumaça) que fazia, no máximo, cerca de 35 km/h. O Rápido Vitória a Minas, formado por locomotiva a diesel B12 da General Motors e carros de aço carbono Santa Matilde chegava a fazer até 68 / 70 km/h, daí o nome ‘Rápido’. A composição do Rápido Vitória a Minas era formada por locomotiva a diesel B12, 1 carro bagagem-correio-chefe de trem, 6 carros de 2ª classe, 1 carro restaurante e 4 ou 5 carros de 1ª classe. Aproximadamente, pelo ano de 1950, a Companhia Vale do Rio Doce firmou um acordo com a Estrada de Ferro Central do Brasil - EFCB e alugou, desta última, dois fantásticos carros leito de madeira para passageiros que, a partir de Governador Valadares - MG, eram engatados na composição do Trem da Vitória a Minas, no antigo com carros de madeira e locomotiva a vapor e também depois, em 1954 quando surgiu o Rápido. Esta foi a época da famosa baldeação de passageiros na cidade mineira de Nova Era - MG, antiga São José da Lagoa - MG. Quem vinha de 2ª ou 1ª classe, de Vitória - ES até Belo Horizonte - MG, deveria desembarcar em Nova Era - MG para embarcar no trem da central, pois ali era o ponto final da E.F.Vitória a Minas. Mas, quem comprava passagem para os carros leito da Central, não precisavam desembarcar, pois vinham de 1ª classe até Governador Valadares - MG e bastava esperar até que os dois leitos da Central fossem engatados na composição do Vitória a Minas. Ao serem engatados os dois leitos, os passageiros que haviam comprado passagem para os mesmos, apenas passavam dos carros 1ª classe para os leitos, de dentro do trem mesmo. No entanto, quem prosseguia na 2ª ou 1ª classes, tinha forçosamente que desembarcar na estação ferroviária de Nova Era, atravessar a linha e embarcar no trem da Central que estava aguardando do outro lado da linha. Este era o Trem noturno da Central, o misterioso trem cujo prefixo era NF-31 e NF-32 respectivamente. De Belo Horizonte a Nova Era assumia o prefixo NF-31 e de Nova Era a Belo Horizonte, NF-32. A baldeação de passageiros perdurou até o ano de 1959, quando o meu avô Altamiro dos Santos, então Presidente da Câmara Municipal de Vereadores da cidade de Aimorés - MG, resolve escrever uma carta para o Presidente da República, endereçada ao Senador Sr Benedito Valadares e para os Presidentes da Companhia Vale do Rio Doce e da Central do Brasil, respectivamente, a fim de solucionar o problema da baldeação de passageiros em Nova Era - MG. O fato foi registrado nos cartórios da Câmara Municipal do Vale do Rio Doce e, resolvida a situação, a partir de 1962, o Rápido Vitória a Minas já vinha direto até Belo Horizonte - MG sem que os passageiros precisassem descer em Nova Era. A partir do ano de 1957, a 16 de março, sob Lei Federal nº 3115, é fundada a Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima - RFFSA e, a partir de 1970, um novo convênio é firmado, desta vez, entre a RFFSA e a CVRD - Companhia Vale do Rio Doce. A RFFSA assumiu toda a malha ferroviária e patrimônio da Central do Brasil, uma vez que encampara esta última. Em meados da década de 70, a composição de passageiros do Rápido Vitória a Minas era novamente servida com 2 carros dormitórios, mas dessa vez, os carros dormitórios de aço carbono da RFFSA - 6ª Divisão Central, 14ª Divisão Centro Norte e, posteriormente, RFFSA - Regional Belo Horizonte, porém, no mesmo esquema, embarcando-se nos mesmos em Governador Valadares. Eram as viagens noturnas uma verdadeira aventura, marcadas pelos sonhos, sonhos dourados de uma criança enlevada pela aventura, embalada pelo apito do Trem Noturno, nas noites alegres e inesquecíveis, noites poéticas, noites que ficaram na memória para sempre, noites perdidas no tempo e esquecidas da memória ferroviária, mas bastante vivas na memória daqueles que viveram suas aventuras, suas emoções, junto com suas famílias e foram felizes no interior de um trem magnífico, o trem dos sonhos, um trem que o tempo levou e que não volta nunca mais…

PARABÉNS, FERROVIÁRIOS!

às 07h40 - por Claudio Luiz Nascimento Bomfim

Apesar de não trabalhar na ferrovia, sou um dos entusiastas do meio de transporte mais eficiente, o trem. Parabéns à todos da Equipe “Amantes da Ferrovia”. Claudio Bomfim

Arquivado em Relato de Viagens
« Older PostsNewer Posts »
 
Clube Amantes da Ferrovia
Av. Pres. Affonso Camargo, 330 - Estação Ferroviária
Curitiba-PR - Fone (41) 3888-3488

Powered by WordPress
Posts(RSS) e Comentários (RSS).

Por Polvo Tecnologia e Comunicação